segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Mayara é menor de idade!

(a "incapaz" Mayara Petruso)


Tenho que confessar que nunca tive estômago para ler um texto, na íntegra, do "porcalista" Reinaldo Aze(ve)do.
Hoje, ao entrar no Facebook, deparei-me com um link do blog do excelente Paulo Henrique Amorim, que levava a um texto do Aze(ve)do. Resolvi encarar!
E não é que ele defende a peruazinha de Bragança?
"É vergonhoso o que certos setores da imprensa vêm fazendo com o caso da Mayara_". O que é vergonhoso? Você e essa mídia nojenta são mestres em sensacionalismo, agora o senhor vem querer ser "justo"?
Vergonhoso é o que certos (quase todos) os setores da mídia fizeram com nosso presidente, desde 1989, que fizeram desde que Lula tomou posse, que fizeram na campanha com Dilma Rousseff e fazem sistematicamente com o PT!. Vergonhoso é o que tenho visto, lido e ouvido de seus discípulos, Senhor Aze(ve)do.
Vergonhosas são as nomenclaturas dadas aos Programas Sociais do Governo, atribuídas por jornalistas como você, que desonram a profissão, como "Bolsa-Esmola" e outras baboseiras!
Escrevi um texto aqui, em meu humilde blog ("O voto das Mayaras"), e um comentário me chamou a atenção. Parecia uma reprodução do texto do porcalista da Veja.
"Pare de linchar essa moça de 21 anos (...) pare de ser prolixo, seu petista inútil (...) a moça é indefesa". Como não costumo replicar comentários aqui, contive-me, e dei um jeito de acalmar os nervos. Não respondi. Mas hoje, ao ler o que esse serviçal da direita escreveu, não aguentei, e vim ao meu "microfone".
Mayara, apesar de ser filha de relação extra-conjugal, tem toda estrutura para poder ser "gente".
Tem quem lhe pague a moradia, comida, baladinhas, a caríssima faculdade, e tem, digo, tinha, um emprego, que aliás, deveria ter-lhe ensinado algumas coisas, pois a neonazi estuda (sic) Direito.
Das duas, uma. Ou não estuda mesmo, ou só atendia telefone no tal escritório em que trabalhava, pois, é latente, não aprendeu nada.
Não sou hipócrita. Já disse aqui. Ela tem 20 e poucos anos, não tem personalidade ou ideologia formada.
Entretanto, tem idade para pagar pelos seus erros...ou não? Ela não?
"As pessoas estão exagerando". "Ela é tão novinha!"
E se fosse, mesmo que menor de idade, negra e pobre? Se tivesse juntado umas moedinhas, e postado aquilo numa lan-house? Estaria no paredão!!! E reacenderia, no mesmo dia, no "catálogo publicitário" em que trabalha o Aze(ve)do, e na grande mídia, o papo furado da tal "redução da maioridade penal".
Crianças (da periferia, claro) de 14 anos são internadas na "reabilitadora e pacificadora" Fundação Casa, por crimes até menos graves! Saem de lá profissionais (do crime).
É muita hipocrisia para uma sociedade só!
Seres "superiores", como os paulistas, deveriam ser a vanguarda, não o contrário, o retrógrado...não são os paulistas que "carregam o país nas costas"? Não são os paulistas os "inteligentes e instruídos"?
Deveriam saber que a educação é o problema/solução. Redução da maioridade penal é uscambau!
Não deixar um governo fazer o que os tucanos fazem com a educação, principalmente, em São Paulo, é dever do paulista!
Mas o que o paulista faz? Vota nos Reis do Estado: "Aqui o PT não se cria!". Pois é. Vê-se!
Façamos o seguinte, para não sermos tão cínicos. Vamos criterizar a coisa.
Preto pobre nordestino é maior de idade a partir dos 16 anos, e branco rico paulista, só depois dos 24.
Pronto.
Assim, as coisas ficam mais claras, como é a cor da pele da moçoila nazistinha.

por Mastrandea

9 comentários:

  1. ótimo texto, Marcus!
    Concordo em gênero e grau. Menos nos números. parece-me que os branquinhos e 'limpinhos' não deveriam, segundo seus próprios critérios, ter maioridade penal. O que de fato já acontece.
    Vânia

    ResponderExcluir
  2. Talvez o meu comentário tenha ficado ambíguo. Quero dizer, não ter maioridade penal, no caso, significa não ser penalizado nunca.

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto,
    As leis devem ser exercitada para garantirmos a conquista da nossa Constituição Federal! Somente exercitando as propiciaremos aos Orgão Estaduais e Federais à atuarem no exercício da Lei, focando a equidade!
    Porém, nossos comportamentos, valores, instituições, ética, valores intangiveis que identificam nossos anseios sociais precisam de galgar para ser salutar à todos, nos âmbitos da igualdade, respeito, ética e dignidade. Face a quantidade de pessoas identificadas conforme post do site http://xenofobianao.tumblr.com/ e que não temos conhcecimento da aplicação da leis nas referentes, pode ser uma forma incorreta de apunir os atos de várias pessoas, pois criam um modelo e ocultando muitos! A Lei permeia a todos!
    Abração,
    Felipe

    ResponderExcluir
  4. Dizer que Reinaldo Azevedo é colunista/ blogueiro ou intelectual é o mesmo que chamar a Veja, de revista. Impressionante como ele é capaz de produzir factóides, atribuindo a si algo que ele mesmo não tem.

    E enganam-se aqueles que chamam o Gansolino Azevedo de direitista, ele é apenas um pau-mandado oportunista trabalhando atualmente para o PSDB. Achou a fórmula mágica de ganhar dinheiro em cima do Lula e do PT.

    No fundo, no fundo, ele se sente membro da esquerda. E toda sua raiva é por não ter sido algum dia aceito entre os camaradas...

    RA é nojento mesmo, não existe dúvida. Mas, além disso, é também um boçal travestido de intelectual.

    Em tempo, voltarei para fazer minhas considerações quanto a “Mayara(asinha)”... Ainda estou na tentativa de digerir...

    ResponderExcluir
  5. Marcus, gostei do texto.
    Eu, como advogada inscrita na OAB, lhe digo que tenho nojo de saber que essa moça pode vir a ser a minha colega de profissão. Tenho nojo em ver tantas pessoas estupidamente hipocritas defendendo esta moça, como se a mesma apenas tivesse cometido um erro banal, coisa da juventude... A senhorita Mayara é uma mulher de 21 anos, estudante do 6° anos de Direito, estagiária (agora ex-extagiária). Tem completa e total noção do que faz e do que fala, teve total acesso à educação e a informação. Ela não é inimputável! Devemos parar de confundir irresponsabilidade com ingenuidade. Essa moça foi irresponsável, numa idade e fase da vida que não lhe cabe mais. Ingenua, jamais!
    Quem acha que ela não tem condições de responder pelos seus atos, deveria aconselhar essa moça a largar a faculdade e procurar emprego de doméstica, economizaria muita grana para seu pai.

    ResponderExcluir
  6. Vendo o teu blog e lendo isso: "Tenho que confessar que nunca tive estômago para ler um texto, na íntegra, do "porcalista" Reinaldo Aze(ve)do." eu tive mt q concordar com vc, ao ler a materia dele falando sobre o caso mayara eu não consegui chegar na metada...

    ResponderExcluir
  7. Tenho pena da moça Mayara Petruso, sem ideologia política, sem persolidade formada e sem formação humana.
    Ela deveria saber que nem com a cruza nordestina, os paulistas não cresceram ideoligicamente, não misturaram com outros brasileiros.
    Pensam por serem ricos, terão mais saúde e paz do que outros que não paulistas.
    Como dizem os médicos de Santa Catarina, temos que cruzar os catarinenses com negros, para melhorar a raça aqui em Santa Catarina.

    ResponderExcluir
  8. Chamar o Paulo Henrique Amorim de excelente é de uma inocência comovente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir